Vivemos em um tempo em que o consumidor está cada vez mais exigente e global, alinhado a nova economia. Isso se dá porque a tecnologia tem sido presente na vida da maioria da população. Com a pandemia provocada recentemente pela Covid-19, ficou evidente essa mudança de comportamento e gerações que antes nem se quer usavam o celular para mandar mensagens e fazer ligações, se viram na necessidade de utilizar o digital para manter contato em meio ao isolamento social.

Quando olhamos para as gigantes das indústrias e siderúrgicas, o cenário não é diferente. Mesmo que ainda pouco utilizada pelas grandes empresas nacionais, a era da Indústria 4.0 já chegou e se estabeleceu, e por isso vamos passar pelo caminho natural de aumentar a competitividade do setor por meio das tecnologias digitais.

O modelo “tradicional” de gestão nesses conglomerados está com seus dias contados – e aqui eu destaco que este e o próximo ano serão vitais para o setor se adaptar às realidades da nova economia ou do “novo normal”. Na minha visão, já passou da hora desses players optarem por um modelo de inovação aberta e de realizar parcerias com institutos de pesquisa e inovação, universidades e também com as startups – nesta última opção vemos ainda mais oportunidades.

Como atuante nesse mercado há alguns anos, percebo que um dos pilares para as empresas terem rentabilidade é aprimorar os serviços que envolvem o armazenamento e entrega de insumos na cadeia de suprimentos. Ou seja, soluções inovadoras que ajudam a ter processos mais automatizados, ágeis e eficientes são os gatilhos que toda companhia do ramo deve prestar atenção, isso porque geram um impacto positivo na hora de reduzir as perdas e diminuir os riscos, eliminando assim todos os gargalos.

A verdade é que na atual situação em que estamos, não dá para virar as costas para ferramentas que ajudam a manter a produtividade em alta. Para se ter uma ideia do quanto o segmento pode se beneficiar com a adesão de tecnologias, uma pesquisa realizada pela Cisco, empresa líder no desenvolvimento das tecnologias de rede IP, mostra que o conceito de Internet das Coisas (IoT) representa uma oportunidade de US$ 1,9 trilhão para o setor industrial como um todo. Isto significa que quem se arriscar e permitir que haja uma maior integração entre toda a cadeia, facilitar a visibilidade das operações de forma dinâmica e assertiva, terá um controle maior sobre todo e qualquer processo. No final, o resultado é um só – mais competitividade, mais tempo para tomar decisões, menos custos e maior produtividade.

Por fim, nosso país passa por um momento muito fértil no ecossistema de startup, que cada dia tem apresentado soluções relevantes para a sociedade. Os desafios das indústrias e siderúrgicas serão cada vez maiores, mas o acesso às inovações trará novas propostas aos problemas complexos e antigos.

Fonte: https://cio.com.br/transformacao-digital-acelera-processos-e-beneficia-operacoes-na-logistica/